quarta-feira, 9 de maio de 2018

Trato Feito

Deparo-me
Encontro-me
Novamente aqui
Dou-me conta
Não prestei conta
Com o que propus a mim

Saiu do controle
Escorreu das mãos
Era de se esperar
Como se fosse
Dar certo a inconstância
Esse modo desequilibrado de pensar

Certezas em falta
Trazem consigo medos na alma
Que justificam o trato feito
"Vamos racionalizar um tempo
Esperar por um momento
Até que essa a dor pare de fazer efeito"

Felizmente
Caí em mim novamente
Antes que fosse tarde demais
Porém na queda machuquei de novo
A dor aumentou mais um pouco
Esse trato durará ainda mais...


sexta-feira, 20 de abril de 2018

Piloto automático

Acelera-se tudo
O batimento fica descompensado
Não se vê mais com a clareza de antes
Nota-se, tão nítido, o tempo passar
E consigo levar
A lucidez que era o mais importante

Consciência perde o sentido
E o coração, tão frágil, fica arrependido
Por tomar o lugar dela sem pedir permissão
Ele se dá conta que é tão impulsivo
Que não consegue analisar os riscos
Que podem levá-lo a perdição

Mas ele já não estava perdido?
Desde sempre confuso, seu próprio inimigo
Talvez seja esse seu triste destino
Amanhecer com certezas
e adormecer não tão certas delas

Pobre coração indeciso...

Quem sabe um dia não encontre o que procura?
Quem sabe um dia pare com essa tortura?
Esse peso de decisões que não aguenta mais carregar...
Quem sabe não faça as pazes com a consciência 
E, com amor e paciência,
Um dia ela te ajude a toda essa carga pesada levar?

Por hora, mantenha-se no piloto automático
Ele não será como você, tão problemático
Digo, tão difícil de lidar
De vez em quando tome as rédeas
Mas não vá tão depressa
Pode perder de novo a direção e a alguém pode acertar...





sexta-feira, 23 de março de 2018

Tenha calma, meu anjo

Querida, acalme-se!
Não reconhece sua própria face?
Pensei que estaria mais tranquila dessa vez
Anda muito aflita para sua idade
Carrega muito peso sem necessidade
Não é à toa esse ombro com tanta rigidez

Me desculpe! Não gosta nem que a encoste?
Você é sensível a toques?
Parece um animalzinho indefeso
Pobre garotinha!
Tanto tempo sem companhia
Sinto daqui de onde vem esse desprezo

Tenha calma, meu anjo
Desse jeito, sou eu que me constranjo
Me sinto intrusa em sua casa
Eu queria fazer só uma visita
Conversar, bater papo, pensar sobre a vida
Falar menos de coisas tão rasas

Você sabe do que estou falando
Foram tantos, tantos, tantos anos
De diálogos sem pretensão alguma
Sei o quanto está farta
O quanto não vê mais graça
nessas conversas repetidas que não chegam "em suma"

Não percebe que sou sua melhor amiga?
Somos tão parecidas
Somos quase que o mesmo ser
E é isso que faz ser engraçado
você se sentir insegura ao meu lado
sendo que a qualquer um se entrega totalmente sem perceber

Eu sou a única que estará sempre aqui
Até você nunca mais existir
E mesmo assim rejeita meus conselhos
Criança, escute a razão
que não mede esforços para te colocar no chão
e fazer de tudo para te proteger de terceiros

Enquanto fechar os olhos para a sua realidade
Vai continuar omitindo suas verdades
E não vai se sentir satisfeita com suas faltas
Precisa largar de vez suas camadas
Quebrar todas elas, até que não sobre mais nada
Nada além de você e suas falhas

Quando aceitar minha visita novamente
Estarei pronta para ser sua confidente
E te ajudar nesse longo trajeto
Não minto dizendo que será fácil
Mas durante esse tempo se torará hábil
em saber viver de modo incompleto

Agora, devo ir
Devo deixar você decidir
se quer mesmo minha amizade
Espero que pense bastante
e me chame o quanto antes
Juro que já sinto saudades...













segunda-feira, 19 de março de 2018

Miragem

Ao olhar para o lado, observou pálido aquele ser
A fisionomia era idêntica, mas com um leve ar de autenticidade
Aquilo seria mesmo verdade?
Parecia algo improvável de acontecer...
Seria aquilo um espelho que se mexia em um tempo diferente?
Essa deveria ser a solução mais convincente
porém era a que menos sentido tinha
O que acontecia?
Não conseguia encontrar explicação
E a cada pensamento confuso
aquele ser estranho se achegava mais
Que intruso!
Com seus leves passos, nem parecia que tocava o chão
Seria ele um fantasma desavisado?
Talvez devesse dizer que estava no lugar errado...
Mas antes que pudesse, o reflexo se moveu de súbito
De uma hora para outra, se pôs frente a frente,
observou atentamente
e riu do seu olhar confuso
"Tenha calma. Hoje é minha primeira visita!"
Esperou resposta, mas o outro permanecia mudo
Não sabia se aquilo era ou não verdadeiro
Desapontado, o seu outro eu sumiu sem falar seu paradeiro
Talvez nem ele estivesse pronto para esse encontro
Quem vai saber?
Teremos que esperar a miragem reaparecer.





domingo, 11 de março de 2018

Uma hora

Uma hora o relógio tocaria
Os segundos teriam seu fim
Uma hora ele ia parar de fazer seu tic tac
E a todos atingiria
Sobretudo a mim
Uma hora os corações parariam
De bater sem sincronia
Uma hora o silêncio seria a única companhia
Mas que melancolia pensar assim…

Bum!
O tic tac acabou
O tempo se esgotou
Não resta mais nada
além dos restos de corpos,
escombros,
pedaços da bomba recém ativada

Pobre população atingida
Pega desprevinida
Nem se deu conta do que aconteceu
Assim, da noite para o dia
Soube que seria
O rosto que na TV apareceu

Quem sabe lá no outro lado da vida
Você se dê conta que tudo se reinicia
e que a surpresa da morte te reviverá
Poderá fazer tudo novamente
Igual ou diferente
Para quem sabe um tic tac não ouvir mais tocar...



sexta-feira, 9 de março de 2018

Dá pra aguentar

Tento escrever sobre ela, mas não consigo. Dói demais, falta ar, de novo. A cada respiração meu corpo tenta encontrar a calmaria dos pensamentos - que não são poucos.
Escuto o ventilador fazer barulho, não faz o sentido de antes, nada faz. O coração aperta quando percebo isso.
Peço a Deus que me ajude, mas lembro que tem coisas que devem partir de mim. Daí, peço desculpas por pedir algo que está em minhas mãos.
Tudo fica tão em desordem de uma outra para a outra, como em um acidente de trânsito que faz tudo parar. Fica tudo congestionado e as pessoas em volta tentam entender o que houve, mas só quem viveu o acidente sabe. Ninguém nunca saberá.
Olho para o ventilador novamente, por que ele faz esse barulho irritante?
Respiro fundo.
A tristeza vem à tona. Ela traz consigo razões demais para se fazer presente. Como mandá-la embora? É a única companhia que tenho agora.
Será um peso invisível que carregarei hoje. Um fardo pesado que esconderei com piadas e um sorriso, porque é mais fácil fingir que está tudo bem. Tenho que acreditar nisso até que se torne verdade. 
Vai ficar tudo bem, eu sei que vai.
O céu será bonito de novo. O final do verão vai mostrar sua beleza. As pessoas serão boas novamente. Tudo terá seu sentido restabelecido e reimplantado aqui dentro.
Respiro fundo.
Lembro da canção novamente:


"Coração bobinho se achando sozinho
Leia nas estrelas o quanto Ele te ama
Coração bobinho se achando sozinho
Escute Deus dizendo filho estou pertinho
É só fechar os olhos respirar bem fundo
Coloca as vozes do medo no modo mudo
[...]
Muita calma nessa alma

Vai ficar tudo bem
Muita calma nessa alma
Lembre-se de quem você tem"


Ingestão de ânimo para o dia. Acho que dá pra aguentar até à noite. Obrigada, Deus 💜

sábado, 3 de março de 2018

Livros no Wattpad

Olá! Tudo bem com você? Espero que sim!

Como alguns sabem, uso um aplicativo chamado Wattpad. Lá escrevo algumas das minhas histórias daqui, principalmente as que têm continuação.

Gostaria de pedir que fizesse uma visita. Poderia fazer isso por mim?

Os livros que estão lá são:


O livro "Evidências" já possui seis capítulos lá, enquanto que aqui só possui três. Vou liberar o sétimo em breve, ok?

Leia o primeiro capítulo ---> Um 💜

Desde já grata.



Tá chovendo à beça aqui! 💦 Ótimo tempo para escrever! 💭
Desejo um ótimo fim de semana a você s2
Beijos doces 💜