sexta-feira, 30 de junho de 2017

Sessão Nostalgia: Palavras

Tudo bem com você? Espero que sim!
Escrevi essa poesia há tanto tempo... Apesar dela não estar descrita de uma forma que escreveria se fosse hoje, sinto-me feliz pois foi uma das pioneiras nesse meu longo percurso no mundo dos poemas.
Não tenho muito o que falar sobre, pois ela fala por si só. Então, é isso. Espero que gostem!


domingo, 18 de junho de 2017

Rego

Eu rego essa saudade
que me invade por inteiro
esperando com ansiedade
que cresça e, com o tempo, 
desapareça
Caia aos pedaços,
galho a galho,
perca sua beleza

Até que por fim 
só reste a mim
em meio ao campo recém adubado
pronto pra ser plantado
e, quem sabe, ser preenchido
por flores de todos os tipos
até que se torne um lindo jardim...




quarta-feira, 14 de junho de 2017

Depois

Duas semanas depois de uma crise de ansiedade

Esse é o pior horário. Onde as engrenagens do meu corpo vão desacelerando e a minha mente começa a silenciar.
Os pensamentos corriqueiros vão perdendo lugar para os mais profundos e, quando me dou conta, estou paralisada.

domingo, 11 de junho de 2017

Poema inacabado

Você é como um poema inacabado
Traz inspiração e desaparece sem nem se despedir
É como o frio em um dia de sábado
Aconchegante mas que tira a possibilidade de sentir vontade de sair

Você é como o frio na barriga em meio a um quase acidente
É a mistura do alívio de estar vivo e o medo de não existir mais
Você é como um riso sincero porém imprudente
Que faz querer rir além do que se é capaz

Você é a mistura da chuva com o sol ao fundo
É a dúvida de atravessar logo ou esperar o carro passar
Você é a noção do quão pequeno se pode ser em comparação ao mundo
E quão imenso se por dentro você conseguir se olhar

Você é a vontade de dizer sim
Você é o motivo para dizer não
Você é aquele nó na garganta ruim
Quando se lembra de um momento bom ao ouvir uma canção

Você é a mistura boa do doce e salgado
Mas que nem sempre dá certo
Você é o desejo de seguir uma aportunidade imperdível
Mas que traz consigo um futuro incerto...

Você é como um


                                                         Graciele S.Santana